domingo, 26 de outubro de 2014

LIBRE OFFICE - Writer






LIBRE OFFICE - conceitos


É uma suíte de aplicativos livres, i. e., que podem ser manipuladas à vontade, sem que o usuário incorra em nenhum tipo de ilícito, como acontece com os programas proprietários. Se sua empresa não gosta de um certo recurso presente no Writer, pode alterá-lo, sem qualquer problema. Basta ter alguém na empresa com habilidade para trabalhar com programação e você altera o que quiser; não esquecendo compartilhar as alterações, como reza o manual de boas maneiras do SL.

Não pense jamais em fazer o mesmo com um aplicativo da Microsoft, como o MS Word, por exemplo. Ela, a suíte livre, contém, a exemplo das suítes mais conhecidas no dia-a-dia da microinformática, Processador de Textos (Writer), Planilha Eletrônica (Calc), Programa de Apresentação (Impress), SGBD (Sistema Gerenciador de Base de Dados), o Base, de interface similar ao MS Access (a bem da verdade, sem a intuitividade daquele e com menos assistentes), Editor Gráfico (Draw); excelente. Trabalha com formas gráficas primitivas e manipula formatos complexos, como o SVG, Editor de Arquivos da Internet, dentre outros recursos. Existe um aplicativo chamado Math que é utilizado para gerar equações e fórmulas matemáticas, como o Equation da Microsoft. O Math é tido como muito mais intuitivo que o Equation e sua Barra de Comandos contém muitos atalhos para equações e elementos algébricos. Com ele é fácil elaborar equações com apresentação impecável para qualquer aplicativo do LibreOffice.org.
No Brasil, por motivos ligados a registro de marca, o software passou a se chamar BrOffice.org, sem que isto represente um “Fork” ou seja, não é uma derivação da suíte internacional (OpenOffice.org). Muito pelo contrário. O intercâmbio entre os colaboradores brasileiros e de outros países é intenso e a sincronia entre as mudanças aqui e algures é fato. Referir-nos-emos ao LibreOffice.org para reportar os seus recursos; mas, se você utiliza qualquer outra suíte de escritório com o padrão ODT, como o OpenOffice.org, todos os recursos são válidos para este também, salvo menção em contrário. Não citaremos o BrOffice.org, pois dado o advento do LibreOffice.org como Fork do OpenOffice.org, o pacote com nome brasileiro se fundiu à marca LibreOffice.org.

O LibreOffice.org é um Padrão Aberto

Ser um padrão aberto significa que qualquer um pode implementar uma solução baseada neste padrão. Se você quiser implementar uma suíte de escritório compatível com o LibreOffice.org, nada o impede, mesmo que, a rigor, seja bem mais fácil e produtivo contribuir com o código-fonte do LibreOffice.org. A tendência de se buscarem soluções baseadas em padrões é irreversível e o fato de ser um padrão aberto garante a independência de quem o implementa e de quem o adota.

‘(...)“Um texto formatado no MS Word segue um padrão”. De fato. Mas aí entra a segunda parte:  padrão aberto X padrão proprietário . Um padrão aberto é um conjunto de diretivas ou características que garantem a manipulação do código, a sua auditabilidade , o entendimento de como funciona o software, retirando deste a sua dimensão de “caixa preta”. A implicação disto tudo é exponencial: eu posso, como usuário do programa de computador, passar de mero usuário passivo para sujeito da ação, pois eu posso entender os bastidores do funcionamento do programa, já que este é aberto, livre, e eu posso estudá-lo e eventualmente processar mudanças em seu funcionamento e ainda serei encorajado a propagar estas mudanças a toda a comunidade de SL.’

Podemos citar, como requisitos para um software poder ser considerado aberto, várias características, dentre elas: Disponibilidade; Permitir a escolha do usuário; Inexistência de “royalties”; Impedir discriminação; Extensível; Protegido; Suportado em nome do interesse coletivo; Ausência de custo.

LibreOffice.org usa o formato ODF em seus aquivos

O formato ODF se subdivide em vários subformatos (leiam-se extensões), para efeito de identificação dos aplicativos / arquivos. Estamos aqui pressupondo que o arquivo tenha uma extensão formada por três (3) letras, o que não impede que haja arquivos com extensões com mais ou menos letras. Por definição, tudo que vier após o último ponto (.) no nome do arquivo passa a figurar como extensão deste. No Windows, a extensão é vital para a manipulação do arquivo. Se você estiver utilizando o Linux como Sistema Operacional, a extensão do arquivo se torna menos relevante, pois este S. O. utiliza o cabeçalho dos arquivos para descobrir o seu formato, e não a sua extensão. As extensões de arquivos mais comuns, usadas pelos documentos do OpenDocument são:
.odt para Processadores De Texto (text)
.ods para Planilhas Eletrônicas (spreadsheets)
.odp para Apresentações em Slides (presentations)
.odg para Editor de imagens (graphics)
.odf para Equações Matemáticas (formulae)
.odm para Documentos-Mestre (master)

O LibreOffice.org exporta para PDF

Portable Document Format (ou PDF) é um formato de arquivo desenvolvido pela Adobe  Systems para representar documentos de maneira independente do aplicativo, do hardware e do Sistema Operacional utilizados na sua criação. PDF pode ser traduzido em português como Formato de Documento Portátil. As gráficas digitais o utilizam como arte final, dada a fidelidade do material produzido. O PDF é um padrão aberto, e qualquer pessoa pode escrever aplicativos que leiam ou escrevam PDFs. Até agora, utilizou-se o PDF como uma maneira de proteger o documento contra edição, pois, até a versão atual do LibreOffice.org (2.3xx), os documentos gerados em PDF não são editáveis. O LibreOffice.org 3.xx promete, ao lado de várias melhorias, editabilidade do formato PDF. Não há qualquer problema, pois os arquivos neste formato têm, de há muito, possibilidade de se colocar uma senha no arquivo final, para proteger assim o seu conteúdo, se é o desejado.
Ao exportar para o formato PDF tem-se a certeza de que o destinatário terá como ler e imprimir o documento, dada a universalização do uso do formato da Adobe. 



Você pode utilizar o ícone default (imagem acima) do exportador para PDF, que se encontra na barra de ferramentas Padrão, ou, se desejar personalizar a saída do arquivo PDF, controlando a resolução, qual folha inicial a ser mostrada, se se vai utilizar uma senha para o arquivo ou não, etc., apontar para o menu Arquivo... Exportar como PDF.
 

sábado, 18 de outubro de 2014

O LibreOffice é uma potente suíte office; incorpora várias aplicações que a tornam a mais avançada suíte office livre e de código aberto do mercado. O processador de textos Writer, a planilha Calc, o editor de apresentações Impress, a aplicação de desenho e fluxogramas Draw, o banco de dados Base e o editor de equações Math são os componentes do LibreOffice.

 O LibreOffice é compatível com vários formatos de documentos, tais como o Microsoft® Word, Excel, PowerPoint e Publisher. Mas o LibreOffice vai além permitindo usar um padrão moderno e aberto de documentos: o OpenDocument Format (ODF).

Texto e imagens retirados da página http://pt-br.libreoffice.org/descubra/libreoffice/

Para fazer o download do pacote de programas Libre Office, CLIQUE AQUI

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Iniciando os estudos do Calc

O que é o Libre Office Calc? O que é possível fazer com ele? Clique para acessar o texto !

 

 

Mas antes, leia atentamente estes dados:

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Calc





APOSTILA DE LIBRE OFFICE CALC - CLIQUE AQUI PARA ACESSAR

 


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Windows Movie Maker

Ao trabalhar com o windows movie maker sempre salve seu projeto de tempos em tempos!

Quando tiver finalizado o projeto, o salve como filme.

Clique na imagem e acesse um bom tutorial sobre o Windows Live Movie Maker!

http://www.tecmundo.com.br/video/4311-windows-live-movie-maker-como-editar-videos-e-publica-los-no-youtube.htm

segunda-feira, 21 de outubro de 2013